Milheiros de galegos saírom às ruas de Compostela o domingo 21 para dizer nom às políticas privatizadoras da sanidade pública que está a executar o governo do PP na Junta de Galiza. A manifestaçom foi convocada pola Plataforma Galega para a Defensa da Sanidade Pública, que reune organizaçons vizinhais, sindicais, políticas, e também diversas plataformas comarcais de defesa da sanidade pública, que intervirom ao remate da manifestaçom junto com o porta-voz da Plataforma.

A escusa da crise e da austeridade está a servir ao governo Feijóo para tentar justificar todas as suas políticas anti-sociais e anti-galegas, desde o ataque ao nosso idioma até as políticas privatizadoras da sanidade. Estas baseiam-se na implementaçom de modelos PFI, com os que empresas privadas constroem as instalaçons, que se convertem em infraestruturas privadas que a sanidade pública usa, e a cámbio a sanidade pública paga anualmente umha taxa e privatizam-se muitos serviços dos hospitais (pode-se consultar mais sobre o tema nesta análise publicada nesta mesma web). Este modelo quer-se usar na construçom dos hospitais de Vigo e Ponte Vedra, e também se quer fazer extensível aos novos centros de saúde que a conselharia projecta construir.

Do MGS, rechaçamos que um serviço público básico e essencial queira pôr-se em maos privadas para o converter em fonte de lucro de uns poucos: luitaremos para que a sanidade pública seja melhorada, por um serviço público, universal, gratuito e de qualidade para todos e todas!